terça-feira, 7 de abril de 2015

Cape Town, um belo início para 2014

Após dois anos e meio morando a trabalho em Moçambique, resolvi que queria novos desafios na minha vida. Mas antes de voltar definitivamente para o Brasil resolvi que queria passar uma temporada em Cape Town e fazer um curso preparatório para o TOEFL. Comecei as minhas buscas pela internet e a equipe do Eurocentres (http://www.eurocentres.com) me atendeu com atenção especial. O custo-benefício era ótimo e acabei fechando para ficar 15 dias em uma casa de família.
Cheguei a Cape Town no dia 5 de Janeiro e conforme combinado havia uma pessoa no aeroporto me aguardando para levar até a minha moradia. Já fiz intercâmbio em outros lugares e acredito que ficando em uma casa de família você aprende muito mais sobre a cultura, além de poder praticar por mais tempo o seu inglês. E dessa vez não foi diferente, fui recebida de braços abertos pela Alfos’s family e depois de algumas horas já era considerada integrante da família.

Eu e a Zofia (filha da família) fazendo arte


O bairro em que fiquei hospedada chama-se Bo-Kaap. Trata-se de um bairro multicultural habitado principalmente por mulçumanos, com mais de 10 mesquitas e casas romanticamente coloridas. Na escola me contaram que a população pensa em pintar suas casas, da mesma forma que as mulheres escolhem um vestido para ir à uma festa, ninguém quer usar o mesmo vestido. Portanto, não há duas casas pintadas nas mesmas cores. Isto foi especialmente importante durante o período do Apartheid, quando o governo impôs restrições sobre o população do bairro, que foi classificada como negros. Assim, a pintura de suas casas foi uma maneira que eles podiam se expressar.
No primeiro dia de aula, fiz uma avaliação escrita, outra oral e depois fomos à um tour pelas redondezas da escola. Aos poucos fui conhecendo as pessoas, que se tornaram grandes amigos durante o curto período de tempo. 
Eu escolhi fazer o curso preparatório para o TOEFL, assim tinha aulas regulares de manhã e 3 dias a tarde aulas específicas para o TOEFL. Uma questão que vale muito a pena ressaltar é o sotaque. Para quem é iniciante em Inglês pode parecer a pior coisa do mundo, mas ouvir diferentes sotaques foi ótimo para mim. Tinha professores descendentes de britânicos, outros descendentes de negros, alguns de países vizinhos como Zimbabué (que também fala Inglês)... Dai você já viu, treinar o ouvido foi essencial. 
A escola organizou diversos passeios para pontos turísticos, mas como eu tinha pouco tempo, acabei focando em estudar. Depois que fiz o teste ainda fiquei alguns dias na cidade e conheci lugares que amei com a turma da escola. Recomendo:

1) Cape Town Stadium: palco de jogos da Copa do Mundo de 2010, fui com a turma da escola assitir Africa do Sul X Mali.


2) Passeio nas vinícolas: contratamos um taxi de 7 lugares e fomos passeando por essa região maravilhosa. Sugiro parar na vinicola chamada Delheim, melhor vinho do mundo! E se tiver um tempo extra, vale a pena caminhar na cidade de Stellenbosch.




3) Long Street: tem pub chamado Dubliner que fica na Long Street, tem bastante brasileiro, mas a musica é muito boa. Aliás sugiro caminhar um dia a noite por toda Long Street.



4) Cubaña: um bar com drinks exóticos, tem vários lugares na cidade


5) Two Oceans Aquarium: localizado no Waterfront, conta com uma variedade de peixes e atrações interativas, como essa de colocar o seu corpo dentro do aquario



6) Cape Town Carnival: trata-se uma celebração da identidade africana, sua diversidade cultural e comunidades. Durante todo o mês de Janeiro, blocos saem nas ruas dos bairros tocando e fazendo festa (igualzinho ao Brasil!)



video


Frase em um onibus: 

"A viagem nunca é longa quando a liberdade é o destino"
"The journey's never long when freedom's the destination"







sábado, 4 de abril de 2015

Um ser cosmopolita: O meu muito obrigada à Moçambique!

Para falar um pouco como eu me senti pelos 2,5 anos que morei em Moçambique, vou utilizar uma definição que acho interessante, o cosmopolita: "O cosmopolita é aquele que tem a necessidade de se envolver com o Outro. Ele possui uma abertura para experiências culturais divergentes, na busca de contrastes. As viagens internacionais não são suficientes para tornar alguém um cosmopolita. Um cosmopolita não negocia com outra cultura. O estado de um cosmopolita seria encaixado no processo de transculturação, adquirindo uma nova cultura sem que a antiga seja esquecida ou superada. Um processo totalmente de desenraizamento, sem interesses pessoais de cunho profissional ou econômico, apenas a vontade de conhecer o desconhecido."
Pensei em contar nesse post todos os momentos difíceis que passei, mas eles foram tão pequenos perto de todos os momentos bons e pessoas maravilhosas que conheci. O meu MUITO OBRIGADA A MOÇAMBIQUE, esse país que me acolheu tão intensamente... Esse post é para ser pequeno, apenas o meu vídeo de despedida e uma frase que usei no post quando completei um ano lá...


Deixei a minha casa para começar uma aventura, uma aventura que daria um livro, um filme, uma novela ou apenas uma aventura que com certeza já mudou a minha vida... 



Victoria Falls: um Patrimônio da Humanidade na África

Uma das principais atrações turísticas da África, as Cataratas Victória (ou Victoria Falls em ingles) localizam-se no rio Zambezi, na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbábue. Os nativos chamam-a de Mosi-oa-Tunya, que significa “fumaça que troveja”. Em 1989, essa atração turísticas foi definida pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.
Para fazermos essa viagem, reservamos cerca de 3 dia e decidimos como sempre dormir em Maputo para valer a pena o tempo. Uma dica que vale a pena checar: os melhores hotéis ficam no lado do Zimbábue, contudo as passagens aéreas para o lado da Zâmbia são quase 50% mais baratas. 
Você já esteve em 4 países diferentes no mesmo dia? Eu já e vou explicar o porquê. Acordamos em Moçambique e pegamos um vôo para a África do Sul e de lá um outro para a Zâmbia. Chegando na Zâmbia cruzamos a fronteira para o Zimbábue, onde ficava nosso hotel. E em todos os lugares recebemos um carimbo no passaporte! 
A cidade possui diversos hotéis luxuosos, contudo optamos por ficar em um hotel mais simples e bem localizado. Ele se chama Cresta Sprayview (www.crestasprayview.com) e eu recomendo. Outra recomendação que nos ajudou muito foi a agencia que faz todos os passeios chamada Shearwater (www.shearwatervictoriafalls.com). Além das belíssimas quedas d’água, na região pode-se aproveitar para realizar safáris, ver elefantes, leões e antílopes, fazer rafting, voar de helicoptero, pular de bungee-jump e realizar passeios de barco no Rio Zambezi.

No dia que chegamos, 17 de Setembro de 2013, fizemos o passeio chamado Evening Land of the Giants, no qual andamos em um elefantes, fizemos um safári e depois tivemos um jantar delicioso com carne de búfalo. Vou deixar as fotos falarem um pouco sobre a experiencia.

Elefantes aguardando para o inicio da Safari

Vou assumir que deu um medinho

Uma das minhas fotos favoritas
Rinoceronte branco
No dia 18 de Setembro, optamos pelo passeio chamado a Bridge Too Far, que incluia visita guiada ao parque, um passeio de helicoptero e um passeio de barco. Victoria Falls é a maior queda d’água da África, com altura variando de 61m a 128m. Cerca de duas vezes mais profunda e duas vezes mais larga (1,7km) que as cataratas do Niágara. No período de cheia são mais de 500 milhões de litros de água por minuto passando pelas cataratas. Em largura, Mosi-oa-Tunya é maior cortina de água do mundo, chegando a alcançar os 1708 metros. Em altura, com 99 metros, só perde para as Cataratas do Iguaçu, no Brasil. Mais fotos...
Entrada do parque 

Um quadro comparativo das 3 maiores cascatas do mundo

Paisagens lindissimas
Pela tarde fizemos um passeio de helicoptero, que não há palavras para descrever.

Preparando para entrar no helicoptero
O último passeio do dia ficou por conta de um cruzeiro romantico pelo Rio Zambezi com um pôr-do-sol divino.


Mas o dia especial ainda não tinha acabado, faltava ainda uma surpresinha... Fomos jantar no famoso restaurante The Boma.


Uma capulana para acompanhar

Carne de crocodilo





Queria dizer o que disse, e disse o que eu queria dizer...
O elefante é cem por cento fiel!

                                                Trecho de Água para Elefantes, de Sara Gruen